Pular para o conteúdo principal

Tesouros do Pico do Junípero

Tesouros do Pico do Junípero, contém as orientações mais sutis e reveladoras. São seleções para os praticantes mais experientes, com ênfase na visão e na combinação de meditações conceituais e não conceituais. Dentre os temas abordados temos: 
Ensinamentos introdutórios, Conselho sobre como praticar as instruções profundas,  O estado desperto autoliberado, As 21 instruções essenciais, A instrução ‘Apontando para a Velha Senhora’, Descer mantendo a visão superior, A Guirlanda de Cristal da prática diária, A Guirlanda Dourada Preciosa de instruções de meditação, O ciclo de pontos essenciais, Conselho para combinar desenvolvimento e consumação, as práticas dotadas e desprovidas de conceitos, Instrução para mulheres sobre como atingir a iluminação sem abandonar as atividades diárias, Iniciação da manifestação da mente primordial, Sinais e níveis do progresso, Conselho para alcançar a iluminação no momento da morte, Os cinco bardos, O tesouro da Caverna de Cristal do Lótus.

Comentário do Lama Padma Samten sobre Tesouros do Pico do Junípero:

"Trata-se de uma coleção de preciosidades, tesouros mesmo,termas manifestados por grandes tertons, emanações de Guru Rinpoche. Uma pessoa que perambulasse penosamente pelo deserto de sua vida, vida após vida, ao encontrar apenas uma parte dessa coleção, se sentiria completamente recompensada. Seguindo essa única parte dos ensinamentos atingiria o resultado final.  Tomando esse texto, contemple-o parte a parte como sua prática principal, guardando-o como uma relíquia, na parte mais alta de seu altar. Além dos ensinamentos de Guru Rinpoche há uma apresentação primorosa e iluminadora de Tulku Urgyen Rinpoche que atesta: Guru Rinpoche virou o saco dos ensinamentos do avesso, revelou-os completamente."

E MA HO!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Da Rosa Cósmica de Khunrath - Primeira Parte

Longe da pretensão de dizer um algo inédito acerca do tema, e muito menos alcançar a profundidade e eloquência de mestres passados que já decorreram de modo quase definitivo acerca do assunto, como Stanislas de Guaita, achamos, ainda assim, de interesse a divulgação de temas clássicos que apesar de figurarem nos curriculos de muitas tradições rosacruzes, acabam ficando de lado especialmente em lingua portuguesa. 
 Motivamos pela decodificação da reforma proposta pelo rosacrucianismo através das obras clássicas, analisaremos no presente o Emblema intitulado “Rosa Cósmica” de autoria Heinrich Khunrath (1560-1605), um autor de extrema importância na construção do pensamento rosacruciano clássico. Lembremos que este tipo de figura visual intitulada Emblema foi amplamente utilizada em certas Ordens Católicas e posteriormente nos movimentos protestantes clássicos sendo constituídos por imagens que se comunicam com um texto e juntos transmitem determinada mensagem, neste particular recomendam…

Da Rosa Cósmica de Khunrath - Segunda Parte

Como apresentado na primeira análise a “Rosa Cósmica” de Khunrath, em Amphitheatrum sapientiae aeternae. [Hamburg: s.n., 1595, a figura “Crística” é central tendo em vista que trata-se de uma produção da QBLH cristã, sendo o Pentagramaton o “Grande Selo”. Na figura Ele está representado como Cristo Ressurreto (Fênix) em meio ao Sol (Tipharet), de onde emanam (ou convergem) todos os Nomes de D’us, sendo que em destaque nos raios solares está em sentido anti-horário seu Grande Nome (YHShVH, ou seja Espírito Santo em nome de YHVH, a fórmula D’us-Homem). Apresentamos a figura analisada em destaque (Arco de Nuvens) e a figura completa de nossa análise até este ponto para localizar as referências ao leitor.  É ao redor deste “Grande Selo” que se organiza o universo simbólico da “Rosa Cósmica” e onde figura o primeiro Arco de Nuvens de onde prosseguiremos nossa simplória análise. Acima da ponta superior do pentagrama temos a esfera mais escura com a inscrição Ain Soph o “Ilimitado”, ou seja,…

Ordem Renovada do Templo (ORT)

"De todas as Ordens de Cavalaria, nenhuma teve um destino tão extraordinário quanto os Templários. Nenhuma teve tal influência sobre a direção do mundo." K E. Michelet
Muitas são as atuais manifestações de Ordens neo-templárias ou inspiradas no ideal cavalheiresco templário, contando ainda neste cenário muitas outras organizações iniciáticas que alegam serem herdeiras da tradição templária apesar de conterem pouco das práticas cristãs esotéricas. Umas das grandes expoentes deste movimento e grande pioneira nesta missão foi a Ordem Renovada do Templo que surge na década de 60 sob um alegórico fato ocorrido em Grotoferrata - Itália e tem seu Mestre Externo instalado na Cripta de Notre Dame, com uma dupla missão a cumprir: primeiramente permitir ao maior número possível de indivíduos alcançar um certo nível de compreensão do Universo - e do seu próprio Universo - ali encontrar o equilíbrio e a harmonia do seu ser e do seu comportamento, de desenvolver dentro de si certas qualidad…